14 de nov de 2010

FESTIVAL DE BOLSAS CHANEL

Incrível como uma marca tem o poder de endoidar a cabeça de um monte de gente, hein! E incrível também como desperta inveja e cobiça também. Mais incrível ainda é que quanto mais cara, mais desejada. Quem pode, pode. Compra e abala. Quem não pode e deseja, muitas vezes recorre às falsificações (acho isso tão pobre!). Tem quem pode e não paga porque acha um absurdo os vários $$$$$ que a tal "IT"peça custa. Tem quem não pode e se vira de todas as formas para ter. Outro dia eu estava pesquisando na web e vi a infinidade de ofertas de réplicas dos modelos Chanel. Ô marquinha valorizada, viu? E copiada, coitada. Gente, vocês já viram as toneladas de sites vendendo bolsas Chanel falsas? Isso sem falar nas outras marcas famosas, tipo Louis Vuitton, Prada, Hermés, etc. As originais custam "em média" de R$ 5.000,00 a R$ 7.000,00. A partir daí, o cidadão ou cidadã pode brincar com o cartão de crédito. O que você faria se caísse na sua conta bancária um montante desse para gastar exclusivamente com a marca Chanel? Compraria uma original? Ou torraria em váaaaarias falsificadas? É pra pensar ou dá p opinar?

4 comentários:

Ale Papeterie disse...

Não sou de dar opinião.Mas neste caso,acho que vale!
Si, as réplicas são tão exatas e perfeitas,que mesmo quem vende o Original olha e diz que é Chanel ou LV,etc...
O que fica faltando é apenas o designer assinado e autenticado.Porque o restante são identicas.
Vou dar um exemplo: Amigo de meu marido comprou um Ray-Ban F. e levou a uma ótica especializada na venda.Acredite,mas o gerente da loja identificou como verdadeiro a réplica.Outra foi uma amiga com Victor Hugo.Que também recebeu o OK de verdadeiro em uma réplica.Para nós que criamos e desenvolvemos produtos,com certeza é o fim,ver algo ser copiado.Mas já virou moda!!A tempos em um programa de TV, o apresentador falou que na 25 de março é recheada de Diaristas comprando bolsas falsificadas para suas patroas `Madames',alta sociedade paulista.Então imagine!!rs!! De cada 10 bolsas no Jardins , pelo menos 9 são falsas!!!!
Acho que a diferença fica por conta de quem carrega a bolsa.Que no fundo sabe que não é verdadeira e que continua como desejo de ter uma Original.
Talvez seja o fim ou não.Pobre ou não, é tanta extorsão em cima dessas marcas,que elas merecem ser copiadas e compradas!Pq é um absuro uma Hermes custar até $29.000 e uma LV até $18.000.Eu não pagaria!!Ficaria na linha da Miu-Miu ou Alexa.São mais baratinhas e lindas de morrer também!
E ai o que acha de meu comentário???

Bjs...

O P I N O B O X disse...

Pois é Ale. Concordo contigo no que diz respeito ao valor dessas bolsas, mas acho que a atribuição de valor de um bem é algo intangível. Comprar um bem num valor desses é realmente uma questão de princípios. para quem pode, não vejo problemas. Não concordo com as réplicas, que reproduzem a marca original, o modelo, o certificado. Afinal, isso demonstra a falta de caráter de quem copia. Achar bonito e se inspirar é outra coisa. Acho legal que as pessoas achem bonito e se inspirem. Porém, imprimindo um estilo próprio. E ainda acho o seguinte. A pessoa precisa ter estilo e atitude. Vejo um bando de mulheres que usam as falsas, coitadas, e nem atitude p isso elas têm. Marcas de luxo foram criadas para pessoas de luxo. Encaro isso como pobreza de inteligência. No fundo no fundo, quem usa uma falsa ainda se rói por não ter uma original. Tem tanta marca maravilhosa, criativa, de qualidade. Pra que se amostrar tentando provar p outros que se tem um status sem ter? Desejo de auto-afirmação? Pra mim, chic é ser inteligente! hehehe

Anônimo disse...

Concordo com tu saimon, quem pode, pode e quem nao pode se sacode. bjs. LIGINHA.

laise disse...

OLÁ; EM PARTE CONCORDO E EM PARTE DISCORDO......
O FATO É QUE, SE VC SE SENTE BEM COM AS GENÉRICAS, USE-AS; SE SO GOSTA DE ORIGINAIS, USE-AS! MAS DEVEMOS MESMO É DEIXAR CADA UM SER FELIZ COMO ACHA QUE PODE.
PENSO QUE O MELHOR É RESPEITAR A VONTADE E O GÔSTO DE CADA UM E NO MAIS É VIVER SEM TER VERGONHA DE SER FELIZ, COMO DIZIA O COMPOSITOR GONZAGUINHA.